quarta-feira, setembro 07, 2011

Muitos planos, pouca vida

Conto hoje 44 translações e uns quebrados. Muitos planos depois, qual deles deveria já estar realizado agora? Certamente alguns deles já devem ter se realizado. Mas, quais? Não anotei estes planos num diário eletrônico qualquer, mesmo porque nem tinha isso há 20, 25 anos atrás. Não rabisquei num caderno, e se o fiz, o caderno já era. Resumindo, planos que fiz quando deveria ter me preocupado menos com eles e mais com o momento. Agora, pensando nisso, tenho alguns planos para o futuro, claro. Devo anotá-los para não esquecer de me cobrar no futuro? Talvez não. Talvez seja melhor encostá-los e partir para a vida de vez, vivendo cada semana, cada dia, cada segundo, pensando como ser feliz agora, neste instante. O que me importa mais? quem me importa mais? Devo abandonar meus planos? Talvez pudéssemos pensar em caminhos, em sonhos, em utopias a serem buscadas, mas em cada ato, agora, sendo pleno agora.

3 comentários:

Vicente Tavares disse...

Valdemar,
Achei excelente o post.
Gosto desse pensamento de ser feliz agora... Não depender de atingir um objetivo, cumprir um plano.
Parabéns pelo blog. Voltarei a visitá-lo, espero novidades!
Abraço, sucesso.

Marcella Reina disse...

E será que agente teria uma idade pra planejar e outra pra aproveitar?
Talvez o tal do Carpe Diem faça sentido ou talvez não.
A única coisa boa que sei agora, é que eu gostei de saber da existência do seu blog.
Parabéns pela coragem em compartilhar os pensamentos!
Quando eu crescer, quem sabe eu não seja assim. =]

Marcela disse...

Pois é, Val... as vezes acho que planejo demais e quando não é alcançado, só serve pra causar frustação...

Viver o presente não quer dizer que seremos irresponsáveis, vivendo o momento e deixando a vida levar, mas aproveitar cada momento feliz sem se preocupar muito se um plano deu certo ou não sem dúvida faz a vida ficar mais doce e feliz! :-)

beijão

Pesquisar este blog